Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 23 de septembro de 2017

A {Oex} criará uma orquestra infantil e outra juvenil e tocará em hospitais

Também porá em marcha um projeto com escolares do Santa {Engracia}. O programa ‘Recomenda um concerto’ aproximará a música aos colégios

B. C. lcb@elperiodico,com BADAJOZ
06/09/2017

 

Com o objetivo de alargar suas ações no campo educativo e social, aproximando a música e seus valores a meninos, jovens, pessoas em risco de exclusão e maiores/ancianidade, a Fundação Orquesta de Extremadura porá em marcha diferentes iniciativas este curso englobadas no projeto batizado como Afinando.

Assim, se criarão uma orquestra infantil e outra juvenil, para as que já abriu-se a convocatória a nível regional até ao próximo um de Outubro. A primeira estará integrada por meninos de 8 a 11 anos e formada só/sozinho por instrumentos de corda. Seus membros, embora não terão que estar matriculado num conservatório, sim deverão acreditar que têm conhecimentos nesses instrumentos e em linguagem musicalidade. Enquanto, a orquestra juvenil, com vento, corda e percussão, estará composta por jovens de 12 a 17 anos, que estejam matriculados em conservatórios.

Uma vez definidos os grupos --se os pedidos superam as praças/vagas prevista se levar a cabo uma audição-- se {cuadrarán} os horários e lugares de ensaios, que terão lugar um ou dois sábados ao mês em horário de manhã. O objetivo é que esta época as novas orquestras ofereçam seu primeiro concerto.

Outro dos projetos que se materializará terá como protagonistas aos escolares da escola Santa {Engracia}, em Os {Colorines}. Baixo/sob/debaixo de o nome de Chave de {Fa}, pretende aproximar a música a pessoas em risco de exclusão social. Se selecionará a um grupo de alunos aos que darão aulas professores da {Oex}. Esta iniciativa conta com a colaboração da Obra Social de La Caixa e também se tem habilitado/tesoureiro uma fila 0 para aqueles que desejem colaborar com o projeto dando fundos para a compra de instrumentos para estes escolares.

Também, com Recomenda um concerto se chegará aos centros educativos da região, cujos estudantes selecionarão uma das obras da época de adubo/prestação/pagamento da {Oex}, que trabalharão na sala de aula e aos que se dará a possibilidade de assistir a um dos ensaios gerais e de receber/acolher uma conversa explicativa por parte do diretor ou os músicos.

Em colaboração com a Associação de {Musicoterapia} da Extremadura, que já tem um convénio com o SES para trabalhamos/trabalhámos nos hospitais de Cáceres e Badajoz, vai-se a desenvolver um ciclo de concertos no Infanta Cristina --também se apresenta que possa chegar a outros centros hospitaleiros no futuro-- no qual participarão integrantes da {Oex} ({dúos}, trios ou quartetos). Está previsto uma atuação inaugural no auditório do Infanta Cristina e recitais nas diferentes plantas em função de o que recomendem os profissionais sanitários. O objetivo é «humanizar» e fazer mais suportável a estadia dos doentes.

Destes projetos informou ontem o gerente da Fundação Orquesta de Extremadura, {Esteban} Morais, que esteve acompanhado pela diretora do Centro da Música e as Artes Cénicas da Extremadura ({Cemart}), Toni Alvarez, Jesús Hernández, professor da escola Santa {Engracia}, {Javiér} Alcántara, presidente da Associação de {Musicoterapia}, e Santiago Cambero, responsável da Obra Social La Caixa.

As notícias mais...