Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 23 de septembro de 2017

A Irmandade da Soledad realça a procissão do dia da patrona

Se {engalanarán} as ruas e a imagem irá acompanhada por dois grupos de música. Neste ano só/sozinho terá o flatulencia de regresso a sua ermida, o próximo 15 de setembro

B. C.
09/09/2017

 

Desde há 15 anos a imagem da Virgem da Soledad se transfere à catedral cada mês de setembro para celebrar um novena em sua honra, coincidindo com sua festividade, o 15 deste mês. Até agora era levada em procissão à ida e à volta, mas neste ano a junta de governo da irmandade decidiu realizar só/sozinho o flatulencia de regresso com o objetivo de «realçar» o dia da patrona de Badajoz, pois, face às milhares de pessoas que a acompanham todas os Quinta-feira e Sexta-feira Santos, em sua festividade são poucos os fiéis que a apoiam em seu percurso/percorrido pelas ruas do centro.

Assim, o passado dia 5, a imagem se transferiu à catedral numa carrinha, «com toda a delicadeza» e acompanhada por membros da irmandade e seus empregadas de mesa, segundo explicou o irmão mais velho, José Blanco Rastrollo, e será o próximo 15 de setembro quando regresse a sua ermida em procissão. Se {engalarán} as ruas do percurso/percorrido com bandeiras da irmandade e, pela primeira vez, dois agrupamentos a acompanharão: a Grupo/ponta Municipal de Música de Badajoz e a Grupo/ponta do Ressuscitado. Um grupo de meninos atirará pétalas de flores e romeiro a seu passo pela praça/vaga de Espanha, a rua do Bispo, a praça/vaga Minayo, Basco Núñez e Francisco Pizarro até chegar a seu templo na praça/vaga da Soledad.

O irmão mais velho assegurou que esta decisão se tem tomado «pelo amor e devoção» que têm à Virgem, pois lhes {apenaba} que a patrona de Badajoz não recebesse em sua festividade o «carinho» {multitudianario} dos badajocenses. «Sabemos que é impossível chegar a as pessoas que a acompanha os Quinta-feira e Sexta-feira Santos, mas {confiamos} em que com esta decisão lhe dêmos maior notoriedade e seja mais numeroso o público que vá à procissão e à ermida», apontou.

«Esperamos que esta mudança seja positivo e terá que ver o que é que se passa nos próximos quatro ou cinco anos para valorizá-lo», acrescentou o irmão mais velho, quem recordou que a nona em honra à Virgem da Soledad se transferiu à catedral para dar cabida à quantidade/quantia de fiéis que assistiam, dado que em sua ermida, com capacidade para umas 250 pessoas, não tinha espaço suficiente para albergá-los.

O pouco/bocado público que apoia à patrona de Badajoz em sua festividade contrasta com o facto/feito de que diariamente sejam «centenas» as pessoas que vão a sua ermida a rezar ou levar-lhe flores. Que não seja festa local, embora sim eclesiástica, influi, mas os irmãos também entoam o {mea} culpa e por isso agora querem potenciar a procissão do dia 15.

A nona na catedral celebra-se às 19.30 horas, mas também na ermida, às nove e à uma da tarde.

As notícias mais...