Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 23 de septembro de 2017

O clube de futebol Santa Isabel se mobiliza pelo uso del Viejo Viveiro

Se queixa de que tem menos horas que outras equipas de fuera do bairro. Da Calle nega-o e diz que a distribuição o acordaram todos os partidos

B. C. lcb@elperiodico.com BADAJOZ
07/09/2017

 

Através das redes sociais, recolhendo firmas/assinaturas, com distribuição de {octavillas}, cartas aos pais e até, se fora necessário, treinar na praça/vaga de Espanha face ao Câmara Municipal ou no ponte/feriado Palmas. O Agrupamento Polidesportiva Santa Isabel se está mobilizando para que se dê solução ao que considera «uma injustiça» com os 250 meninos que integram sua secção de futebol e que, segundo denúncia, não dispõem de suficientes horas nas instalações del Viejo Viveiro para treinar, apesar de que estão em seu próprio bairro.

O coordenador da secção de futebol, Jesús González, explicou que vêm sofrendo este problema desde há várias épocas e apesar de que têm enviado escritos/documentos ao vereador de Desportos, Miguel Ángel Rodríguez de la Calle, e reunir-se com o gerente da Fundação Municipal de Desportos ({FMD}), não se fez «nada» para atender sua reivindicação. Segundo assinalou, agora dispõem de 4,5 horas semanais no campo de relva face às 20 que chegaram a contar quando se inauguraram as instalações.

O agrupamento polidesportiva se queixa de que outros clubes, que não são associações sem fins lucrativos como esta e que não têm sede na Margem Direita ---onde eles levam trabalhando com os meninos desde há 34 anos-- usufruam de mais horas para o uso destas instalações e de «melhores horários». González considerou «absurdo» a distribuição que se faz. «É como se vamos a treinar às pistas de futebol que fizeram em {Gévora}, e as equipas de {Gévora} se têm que ir fora», comparou. Também, mostrou o mal-estar dos sócios porque se tenha adiantado seu horário em meia hora, das 16.30 às 16.00 horas, pois se já lhes parecia «mau» antes, agora piora.

Também não lhes parece bem que tenha 20 horas semanais para o aluguer das pistas, dando preferência a adultos sobre/em relação a os meninos, quando muitas tardes estão «vazias» porque ninguém vai.

CONTINUARÃO A LUTAR / {Gonzaléz} assegurou que não estão disposto a {cejar} em sua luta à que, segundo disse, se tem unido outro clube do bairro, o CD Santa Isabel 2013, cujos pais e meninos «já estão recolhendo firmas/assinaturas e repartindo {octavillas}» Também se porão em contacto com o da Uva para que some à causa. «Sairemos à rua, com 500 meninos, treinadores e pais». Neste sentido, reclamou à Câmara Municipal que construa novas instalações desportivas para que a Margem Direita possa utilizar/empregar as do velho {Viero}, nas que considera que deveriam ter prioridade.

Por seu lado, o vereador de Desportos assegurou que a secção de futebol da Agrupamento Polidesportivo Santa Isabel é a que dispõe «de mais horas» para treinos no campo de futebol del Viejo Viveiro, com 16,5 horas semanais entre as diferentes pistas, enquanto equipas como o Santa Isabel 2013, também do bairro, ou o Flecha Negra, contam com 9,5 e 8 horas, respetivamente. «Nenhum se queixa, só/sozinho eles», apontou o vereador, quem recordou que esta instalação é municipal e não de São Fernando, pelo que se tem que dar cabida a todas as equipas. Neste sentido, assinalou que os outros clubes, quando não têm suficientes horas no Velho Viveiro, alugam os campos da Federação de Futebol ou os da Universidad de Extremadura, pelos que devem pagar um aluguer. «Não sempre pode ser gratuito», afirmou.

RESPOSTA DO VEREADOR / Quanto às queixas pelas horas às que têm que treinar, o vereador assegurou que foi a próprio Agrupamento Santa Isabel a que pediu que se adiantasse das 16.30 às 16.00 horas, pelo que não entende porque é que agora não estão conformes. Além disso, explicou que de maneira anual se reservam umas horas de aluguer de pistas de futebol porque se deve dar a opção aos cidadãos de que possam utilizá-las para praticar este desporto pois, insistiu, tratar-se de um complexo «municipal» que deve estar aberto a todos os badajocenses.

Também, enfatizou que a distribuição dos horários se acordou numa mesa de trabalho da junta reitora da {FMD}, precisamente porque este mesmo conflito se vinha repetindo, e contou com o «apoio» de todos os grupos políticos, incluído o nessa altura porta-voz de Ciudadanos e agora vereador não inscrito, Luis García-Borruel, a quem lhe {afeó} que agora critique os quadrantes. «Ou não se inteira ou é um desleal», disse. O vereador assinalou que esse acordo se respeitará, pelo que não prevê introduzir mudanças na distribuição dos horários. Acrescentou que a intenção da equipa de governo é alargar as instalações desportivas em ambas margens do rio, mas entretanto temos de tratar de optimizar as que há.

As notícias mais...