Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 20 de outubro de 2019

Castro Street Fair

ROSALÍA Perera
09/10/2019

 

En San Francisco banderas {arcoíris} alborotan este primer domingo de octubre. A rádio anuncia temperaturas de até 25 graus. E a pele, desejosa de não esquecer o verão, se descobre, despindo a amanhã. O diretor do grupo, primoroso como um dia de sol, dirige aos músicos com sua bengala de {majorette}. Música de revesta, da que alerta o coração e move as pernas, sincronizadas com suspiros e {aleteo} de {pestañas}. {Cuajaditas} de rímel. E de emoção de ver aos amigos, aos amantes de outro tempo, que vão como uma promessa. Estampada numa cartaz. {LOVE}. As casais avançam da mão. Mostram suas alianças ao vizinho/morador de mesa. {Acicalados} com suas vestimentas de couro, seus corpos em couros. Sua vontade de ar. Livre. Livres. De {recordar} que há/faz pouco tempo não o foram. Os agentes da escritório do {sherif} repartem ordens sobre/em relação a segurança, oferecem placas com sua estrela aos meninos, galhardetes de cores e se fazem fotos com as animais de estimação. Associações que ajudam aos pais a entender a seus filhos. Aos filhos a entender-se. Clínicas que informam sobre/em relação a o VIH e oferecem análise gratuitos. Calendários de jovens giros para a fundação de pessoas sem lar. Os bombeiros dão conselhos e capacetes cor-de-rosa. Drag {Queen} altas e adoráveis se {contonean} sobre/em relação a seus saltos e sacodem a {melena}, pondo-se a vida por {montera}. Há um lista para advogados que queiram emprestar aconselhamiento a demandantes de hospicio. Residências de maiores/ancianidade. Assistência à demência. Voluntários para ajuda a domicílio. Monges que dão as boas-vindas/bem-vinda a uma igreja inclusiva e te abrem seus braços como o estão as portas de seu templo. A casa de Deus. {God} {is} {love}. Dois beijos com boas-vindas/bem-vinda. Uma lágrima. E um {porfín}. E um oxalá em Espanha. «O amor tudo o pode. Regressa cedo», enquanto deixa em teu mão uma medalha. «Para que te proteja na viagem». Um auto-proclamado escritor oferece poemas perante sua máquina de escrever. A pose ensaiada. A queda/redução de olhos, {miopes}, diante da petição/pedido do qual se aproxima: «{Hazme} uma poesia romântica. Meu namorado se chama {Jason}». Raparigas que estudam folhetos sobre/em relação a reprodução assistida, às que lhes oferecem bolas contra o stress em forma de espermatozoides. Dois senhores, que devem superar os noventa, levam o símbolo da paz e um coração pintado, e afagos, nas bochechas; e após de sim, um rasto mudo, uma reverência aos que tanto/golo têm visto e passaram, que lhes abre passo. Como fizeram com os que vieram depois, que agora luzem, neste cálido outono, seus direitos, como um cravo estouro pegado na lapela.

As notícias mais...