Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 1 de abril de 2020

A Câmara Municipal voltará a licitar o estacionamento subterrâneo de {Prim}

Urbanismo vai a pedir ao proprietário da parcela de {Adeba} que melhore o fecho de Santo Domingo. A curto prazo, não se apresenta alargar a plataforma única ao terceiro e último troço desta rua

A. M. ROMASANTA badajoz@extremadura.elperiodico.com BADAJOZ
14/03/2020

 

Lo tentou em 2008 mas a empresa adjudicatária não chegou a assinar o contrato para a construção e exploração do estacionamento subterrâneo previsto na rua {Prim} e agora a Câmara Municipal De Badajoz prevê de novo voltar a licitar este parque de esacionamento, para dotar de praças/vagas de estacionamento este ambiente, segundo informou ontem a este diário/jornal o vereador de Urbanismo, Carlos Urueña.

O estacionamento se situaria debaixo de a futura praça/vaga pública que se contempla com bilhete pela rua {Dosma} (praça/vaga Príncipe da Paz, dedicada a Manuel Godoy ), cuja construção também corria a conta da concessionária quando se tirou a concurso o parque de esacionamento pela primeira vez.

O primeiro concurso ficou deserto porque a única proposta que se apresentou (de {GEA}-21 e {AGG}) não pôde seguir/continuar por falta de financiamento para iniciar/dar início as obras. A construção e exploração durante 40 anos se licitou com 180 praças/vagas de aluguer mensal ou cessão de uso, mas a adjudicatária solicitou alargar o número de plantas de 3 a 4 e incrementar as praças/vagas até 285. A ideia da Câmara Municipal é retomar agora este projeto dado que está tentando eliminar estacionamentos da Alcazaba e {peatonalizar} ruas. «Queremos estudar como se pode voltar a tirar», assinalou Urueña. Não é a primeira vez que a câmara municipal anuncia esta intenção após aquele primeiro tentativa.

Por outro lado, as obras da plataforma única no segundo troço da rua Santo Domingo já têm terminado. O construtivo pediu um alargamento do prazo até à terceira semana de Março diante da previsão de que se atrasasse porque se detiveram em Natal, mas não fez falta tudo o tempo solicitado. Neste troço o único mobiliário urbano que se tem colocado foram papeleiras. Se têm descartado os bancos por motivos de acessibilidade. A passeio/calçada não tem largura suficiente, dado que devem estar separados 1,80 metros da fachada, mais o tamanho (entre 30 e 40 centímetros) do próprio assento e outros 80 centímetros de distância com a calçada.

eliminados três postes / Urueña destacou o resultado desta atuação, com a que além disso se têm conseguido eliminar os três postes de luz que tinha na esquina com Basco Núñez e cujo cablado se tem soterrado. Explicou que se chegou a um acordo com Endesa para que financiasse tanto/golo o {soterramiento} como a canalização.

Em relação ao estacionamento que {Adeba} mantém na superfície, o vereador confirmou que o acesso se manterá onde está, desde/a partir de a rua Basco Núñez, pela prolongamento da rua {Dosma} até {Prim}. A bilhete a este arrumador desde/a partir de Santo Domingo não vai-se a voltar a permitir. Urueña aduziu que «não tem muito sentido habilitar uma plataforma única com prioridade pedonal e permitir o trânsito do parking», sobretudo porque existe um acesso alternativo, que se tem usado durante o desenvolvimento das obras da plataforma única.

Além disso, a Câmara Municipal vai a falar com a propriedade do solar para que {adecente} o encerramento de Santo Domingo, que consiste numa grade/cerca com uma tela negra, que não oferece uma boa imagem da rua, agora que se melhorou.

Uma vez concluído este troço, ficaria pendente o terceiro e último desta rua, que carece de plataforma única e que tanto/golo vizinhos/moradores como comerciantes pediram. Mas a Câmara Municipal não se o apresenta a curto prazo, embora também não o descarta. Urueña assinalou que nestes momentos estão a estudar a conversão em plataforma única de muitas ruas em função da dotação que se contemple nos próximos orçamentos municipais.

As notícias mais...