Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 1 de abril de 2020

A Câmara Municipal põe couto aos postes de obra que {obstaculizan} as passeios

O serviço de Iluminação começa a retirá-los com a colaboração de Endesa e Telefónica. Los do cruzamento de Santo Domingo com Basco Núñez já se têm retirado com a plataforma única

A. M. ROMASANTA lcb@elperiodico.com BADAJOZ
13/03/2020

 

El serviço de Iluminação do Câmara Municipal De Badajoz está procedendo a retirar com seus próprios meios os postes de obra que permanecem em muitas ruas e que em ocasiões supõem um verdadeiro obstáculo porque estão ancorados em metade das passeios entorpecendo e inclusivamente impedindo o passo. Esta atuação se está acometendo em «estreita colaboração» entre a Câmara Municipal e as companhias Endesa e Telefónica, segundo informou ontem o vereador da área, Jesús Coslado. Estas empresas estão a trabalhar conjuntamente com a câmara municipal para assim simplificar esta tarefa e minimizar os trâmites.

Coslado assegura que na cidade não persistem demasiados postes de obra de madeira nas ruas. Não os têm contabilizados com exatidão mas calcula que pode ter por volta de uma vintena. El problema é que embora sejam poucos chamam muito a atenção e a maioria levam «muitíssimos» anos ancorados.

Muitos destes postes que permanecem nas ruas foram colocados por construtoras quando estavam realizando promoções de habitações/casas/vivendas para contar com eletricidade na obra, mas quando acabaram se esqueceram de retirá-los ou simplesmente não o fizeram.

Por outro lado, naqueles projetos de plataforma única que a Câmara Municipal está executando nas ruas do centro, se está incluindo já uma verba/partida para a retirada dos postes de madeira e o soterrado do cablado. É o que se fez no cruzamento da rua Santo Domingo com Basco Núñez, onde se têm retirado os postes que permaneciam desde há anos na esquina, desde que se colocaram para recolher o cablado do edifício que se teve que derrubar por seu estado de ruína. Por outro lado, para previr que esta situação se repita, Coslado assegura que «desde há já tempo» se está fiscalizando a existência destes postes, para que uma vez que terminem as obras não permaneçam no acerado e as construtivas os retirem. Se existe a possibilidade, se devem colocar dentro da parcela onde se acomete a obra, embora não sempre é possível, ou bem soterrados.

A retirada destes postes foi uma procura da associação APAMEX, que insistiu na última Comissão de Urbanismo, segundo recordava ontem seu presidente, Jesús Gumiel. Nessa altura o vereador deste área, Carlos Urueña, comprometeu-se a provocar uma reunião com Endesa para abordar este tema. Apamex aponta que é a Câmara Municipal o que autoriza a colocação destes postes e se se localizam no meio da passeio/calçada tem que obrigar a as construtora a transferi-los, bem como a retirar-los quando terminam as obras.

Na última reunião que manteve Apamex com Coslado, o vereador já lhes informou da intervenção municipal neste assunto e de que a Câmara Municipal tem começado a retirá-los de maneira paulatina. Apamex realizou faz muito tempo um estudo de quantos postes de madeira tinha nas passeios obstaculizando o passo e calculou uma centena.

As notícias mais...