Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 11 de dezembro de 2018

Assembleia provincial culmina a limpeza da vila romana da {Cocosa}

O responsável defende que temos de criar um plano diretor para a jazida. Se tem atuado sobre/em relação a 3.250 metros quadrados com um investimento de 67.500€

EFE/REDACCIÓN
12/06/2018

 

L a Assembleia provincial Provincial de Badajoz tem concluído a primeira fase de atuações para a limpeza da vila romana da {Cocosa}, na qual se atuado sobre/em relação a 3.250 metros quadrados, com um investimento de 67.500 euros.

Desta forma, segundo destacou ontem a instituição provincial, o Área de Desenvolvimento Sustentável «dá um passo» mais na consolidação do Centro de {Capacitación} em Sustentabilidade e Educação Ambiental da {Cocosa} «devolvendo à vida» a vila romana para convertê-la num recurso didático, pois permitirá compreender aos visitantes as relações homem-meio que desde há pelo menos 2000 anos na Extremadura têm configurado a evolução do montado extremenha, como espaço produtivo e também de biodiversidade da Quinta a {Cocosa}.

A limpeza arqueológica da vila se tem realizado entre Abril e Maio deste ano, dando assim por finalizada a primeira fase dos trabalhos que continuarão realizando-se em dito jazida.No decurso das trabalhos, voltam a ver a luz as diferentes áreas da vila, como a exploração agropecuária de época romana.

A Diputación de Badajoz recordou que a vila foi escavada nos anos 40 do século passado sendo responsável naquele nessa altura o arqueólogo {Esteban} Rodríguez Amaya, e sua fundação se situa até meados ou finais do século I d. C., momento no qual se constrói uma residência articulada em torno de um grande pátio {columnado} ou {peristilo} e ao seu redor encontram-se os quartos principais.

Segundo o {arqueólgo} Fernando Sánchez Hidalgo, a atual intervenção permitiu «pôr ao dia o estado atual dos restos que se conservam no jazida, face a poder/conseguir investigar-los apropriadamente, bem como valorizar as diferentes possibilidades que facilitem sua conservação e posta em valor».

Alejandro Peña Paredes, coordenador do Área de Desenvolvimento Sustentável e responsável treinador na assembleia provincial do plano de trabalhos na vila romana, defendeu que agora os esforços devem ir focados na criação de «um ambicioso plano diretor» para a jazida da {Cocosa}, que permita uma melhor interpretação das estruturas, uma leitura mais cientista de suas fases e de seus vestígios móveis, bem como a execução dos correspondentes projetos de escavação e restauração, tanto/golo na própria vila romana como em seu ambiente imediato».

PLENAMENTE VISITÁVEL / Também, Alejandro Peña salientou que «se deve conseguir que a jazida da vila romana e basílica da {Cocosa} seja plenamente visitável, por meio de diferentes atuações como a adequação de caminhos, zona de estacionamentos, itinerários acessíveis entre os restos, {cartelería} e posta em valor, em geral, deste importante lugar».

As notícias mais...