Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 29 de março de 2020

{Aspaceba} cumpre 40 anos em defesa das pessoas com paralisia cerebral

Atende a mais de 250 famílias em seus centros de Badajoz e Zafra e conta com 90 trabalhadores. Um dos reptos/objetivos é impulsionar a inserção laboral através de seu centro ocupacional de artes gráficas

B. C. lcb@elperiodico.com BADAJOZ
22/04/2019

 

Cuarenta anos. São os que faz com que um grupo de pais fundaram a Associação de Paralisia Cerebral de Badajoz ({Aspaceba}) com o objetivo de oferecer a seus filhos os recursos que necessitavam e que as administrações não facilitavam naqueles momentos. Foi em setembro de 1979 quando {echó} a andar. Sua primeira sede foi um local cedido pela assembleia provincial de Badajoz na rua Abril, onde começou a oferecer os primeiros serviços de fisioterapia e logopedia com só/sozinho dois ou três trabalhadores. Com o «empenho» das sucessivas juntas diretivas e o apoio de instituições públicas e privadas a associação foi crescendo e em 1997 estreou suas atuais instalações de Valdepasillas, que posteriormente se alargaram com outro imóvel anexo. «Poder/conseguir contar com um prédio multiserviços foi o maior empurrão que tivemos em nossa trajetória, porque nos permitiu incrementar o número de pessoas atendidas», recorda Carlos Batalla, diretor-gerente de {Aspaceba}.

Quatro décadas depois, é o único centro especializado de atenção pessoas com paralisia cerebral e deficiências afins da província de Badajoz. Na atualidade atende a mais de 250 famílias em suas sedes de Badajoz e Zafra e conta com 90 trabalhadores em plantel/quadro e uma trintena de voluntários.

{Aspaceba} dispõe duma residência, acreditada pelo {Sepad}, com 30 praças/vagas que funciona os 365 dias do ano. Nestes momentos há 20 usuários e, embora é um serviço com «procura», segundo reconhece Batalla, muitas famílias não têm recursos económicos suficientes para enfrentar seu custo, pois as praças/vagas estão subsidiadas, mas o sistema é de co-pagamento (o residente deve pagar o 75% de seus rendimentos líquidos anuais). Além disso, tem concertados com o {Sepad} o serviço de atenção precoce (tratamentos ambulatórios a meninos de 0 a 6 anos), habilitação funcional (para maiores/ancianidade de 6 anos e inclui numerosas terapias) e um centro de dia com 40 usuários.

Um dos reptos/objetivos que se apresenta {Aspaceba}, segundo seu gerente, é conseguir que o oficina de inserção sociolaboral de artes gráficas que têm posto em marcha se converta num centro ocupacional propriamente dito, pois agora está acreditado, mas pendente de concerto. Há famílias que estão à espera de poder/conseguir contar com este tipo de serviço diurno, que inclui formação, mas também sala de jantar e transporte.

Segundo Batalla, existem outro centros ocupacionais na região dirigidos a pessoas com deficiência intelectual, mas os usuários de {Aspaceba} têm necessidades especiais de apoio {motórico}, mas um bom nível cognitivo. «Não existe um centro especializado faz falta que o nosso o considerem e o financiem como tal», salienta. «Desde {Aspaceba} acreditamos que um repto/objetivo muito importante a assumir é a inserção laboral, porque se queremos que tenha uma normalização global das pessoas com deficiência intelectual, tudo passa pela integração laboral, por sua autonomia», pois agora existe um «{limbo}» em recursos para os usuários que chegam a certas idades.

Em {Aspaceba} também têm pendente a posta em marcha de terapias específicas, como o {therasuite}, a construção duma piscina de maior tamanho e climatizada e a aquisição de novos veículos adaptados, para o que recorrerão a subsídios públicos e a entidades privadas, pois este tipo de projetos não os cobre o {Sepad}.

Por ocasião do 40 aniversário, se tem constituído uma comissão integrada por trabalhadores, pais, usuários e voluntários para preparar diferentes atos comemorativos. O ato central, segundo explicam Fernando María de Soto e Patricia Ruiz, secretário e trabalhadora social de {Aspaceba}, respetivamente, terá lugar o próximo 28 de setembro no Palácio de Congressos de Badajoz, onde serão homenageados os pais fundadores da associação, usuários e trabalhadores. Durante esta jornada também celebrar-se-á o Encontro de Famílias juntamente com Aspace Cáceres e se poderão ver três exposições de fotografia.

Além disso, o 24 de Maio terá lugar em suas instalações uma atividade de sensibilização com 300 escolares, na qual terá jogos e torneios desportivos e pretende organizar outra mostra no Museu do Carnaval com os 19 fatos com os que têm desfilado no Carnaval de Badajoz.

Os atos não só/sozinho se desenvolverão em Badajoz, também Zafra terá uma jornada comemorativa, lúdica e de sensibilização o 8 de Junho.

As notícias mais...