Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 22 de agosto de 2019

O seminário internacional de jazz espera bater recorde de matrículas

Classes de {lindy} {hop}, um popular dança dos anos 20, a novidade deste ano. Os organizadores reclamam mais apoio da universidade para dar o curso

RODRIGO CABEZAS prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com ALMENDRALEJO
19/07/2019

 

Almendralejo não só/sozinho tornou-se na berço da música de jazz na região, mas também é um ponto de referência para muitos amantes deste estilo musical em toda A Espanha e em parte de Europa. Culpa de isso a tem o facto/feito de que conta com o único Instituto/liceu de Jazz {reglado} na comunidade e que, cada ano, atrai a alunos da Extremadura e fora.

Entre as atividades que programa destaca o Seminário Internacional de Jazz Cidade de Almendralejo, que organiza em colaboração com a câmara municipal e com a Universidad de Extremadura (UEx), e que neste 2019 cumprirá sua quinta edição com sua celebração de 19 a 21 de setembro, com sessões matinais e vespertinas. Irão destacados músicos procedentes de Estados Unidos, Cuba, Chile e Espanha. Seus organizadores estimam que podem bater recorde de inscritos e por isso têm elevado a quota a 75 possíveis participantes.

{Narciso} González, um dos {coodirectores} do seminário, avançou ontem, em sua apresentação, que há {preinscipciones} realizadas desde Toledo. Circunstância esta que não lhe surpreende, já que o dado «deixa claro que o nível que tem o seminário o coloca como um dos melhores do panorama nacional».

Entre os professores que irão a esta edição encontra-se {Perico} {Sambeat}, um saxofonista que está considerado como um dos grandes músicos de jazz em toda Europa. Outra professora será {Mayte} {Alguacil}, música madrilena que dá classes no Liceu de Barcelona. Recebeu classes em Estados Unidos de grandes emblemas do jazz.

Rodrigo Recabarren, natural de Santiago de Chile, é um especialista em tocar bateria que fez várias digressões internacionais por Europa e Estados Unidos e agora confirmou sua presença junto a Pablo Menares, um contrabaixista chileno de grande {reputación}. O outro professor que completa o elenco de professores é {Fabián} {Almazán}, pianista cubano que trabalha em EUA.

{Lindy} {Hop}/ Uma das grandes novidades do seminário é a presença de {Samuel} {Rigal}, um dançarino e coreógrafo nascido em Havana, mas {afincado} em {Sevilla}, que dará classes de {lindy} {hop}, um estilo de dança muito {peculiar} que se popularizou em Nueva York sobre/em relação a a década de 1920. Com o tempo, evoluiu em diferentes variedades de {swing}.

Para além das classes das diferentes especialidades de voz, saxofone, piano, contrabaixo/sob/debaixo de, bateria e dança, o seminário tem outras atividades alternativas como classes {combo}, mestrado {class} de professores e o tradicional concerto final de professores.

Mais apoio/ Tanto/golo González como Paco Fernández de Vega, diretores do seminário, reclamaram mais apoio da UEx, que inclui este seminário em seu programa de cursos internacionais de verão, mas, e apesar de ser um dos mais demandados, ambos asseguram que recebe um apoio insuficiente da universidade, à que reclamam mais implicação.

Em relação ao próximo curso no Instituto/liceu de Jazz, já encontra-se aberto o prazo de pré-inscrições até ao 18 de setembro.

As notícias mais...