Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 19 de agosto de 2018

Santiago Aguaded consegue o José de Espronceda por ‘{Volaverunt} {opus} {nigrum}’

Definida como poesia em prosa, a obra alude aos caprichos de Goya

R.CABEZAS ALMENDRALEJO
06/06/2018

 

Santiago Aguaded ({Lepe}, 1962) tem ganho o XVII Prémio de Poesia José de Espronceda pela obra {Volaverunt} {opus} {nigrum}, impondo's às outras 24 finalistas, que a comissão de leitura selecionou entre as 200 apresentadas.

O erro se deu a conhecer durante uma velada literária celebrada o dia 1 no salão de atos de {Cajalmendralejo}. O poeta andaluz se levou 6.000 euros, para além da publicação da obra por {Algaida}. Convoca a Câmara Municipal como parte da Rota Literária sobre/em relação a o Romantismo.

O poemário vencedor faz referência aos 80 caprichos de Goya. O escritor explicou que há 56 poemas no livro e que todos são em prosa, exceto dois. Sobre/em relação a seu trabalho, considerou que «ao ser uma poesia em prosa e atraente/atrativo, penso que qualquer pessoa que conheça a história de Goya pode sentir-se atraído pela publicação. Se calhar os poetas atuais possam vê-lo estranho, mas acredito/acho que o êxito tem radicado na originalidade de voltar ao passado para tratar de fazer algo atual», assegurou.

O porta-voz do júri, Antonio Sáez Delgado, salientou, por seu lado, que a obra explora um terreno denominado «{écfrasis}» que é a descrição precisa e detalhada de um objeto artístico.

Santiago Aguaded leva mais de 20 anos escrevendo poesia. Agora está jubilado, mas durante grande parte de sua vida foi professor de Biologia na Universidade de Huelva.

As notícias mais...