Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 23 de septembro de 2017

Representantes do Ministério de Agricultura visitarão a região

A Junta espera conseguir a declaração de interesse/juro geral e o 33% de financiamento. Os regantes têm de pagar cinco euros de derrama destinados à escritório técnico

RODRIGO CABEZAS prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com ALMENDRALEJO
03/09/2017

 

Durante o presente mês de setembro, uma comitiva do Ministério de Agricultura e Pesca, Alimentação e Ambiente visitará a região de Terra de Lamas para conhecer de primeira mão em que ponto encontra-se o projeto de regadio da zona, que características tem e fazer parte duma reunião com membros da Junta de Extremadura e a Comunidade de Regantes para tratar o tema de seu financiamento. Será o primeiro encontro entre as três partes uma vez que no passado mês de Julho a Junta anunciou a criação de um grupo de trabalho para impulsionar o projeto.

O presidente da Comunidade de Regantes, Isidro Hurtado, confirmou a este jornal que o encontro é iminente e que nessa reunião a conselheria poderia insistir-lhe na declaração do projeto como de interesse/juro geral do Estado, assumindo o governo central o 33% da financiamento. Após a última junta geral, o projeto se cifrou em 195 milhões de euros de investimento que pagariam a partes iguais os três participantes: ministério, Junta e regantes, isto é, 65 milhões de euros cada um.

«Embora não o pareça, o plano segue/continua seus passos e estamos bastante avançados», assinala o próprio Isidro Hurtado. Atualmente, desde sua publicação no Diário/jornal Oficial da Extremadura no passado 10 de Agosto, o plano geral de transformação de regadio se submete a um período de 45 dias de exposição pública para que os agricultores afetados possam realizar as alegações pertinentes e oportunas.

Por outro lado, desde a Comunidade de Regantes também se trabalha em seu parte de financiamento. Segundo aponta seu presidente, os regantes estão vendo as fórmulas para poder/conseguir financiar 65 milhões de euros e para isso já têm sobre/em relação a a mesa várias propostas de diferentes entidades bancárias. «Há várias entidades que se têm interessado no projeto e, além disso, acreditamos que o plano tem cabida para várias», se aponta.

Derrama/ Por outro lado, o Boletim Oficial da Província publicou que desde o 1 de setembro os regantes contam com dois meses para pagar a derrama que foi aprovada na Junta General e que corresponde aos cinco euros por participante. Isidro Hurtado explica que este dinheirão é necessário para ter um escritório aberto de atenção e informação aos regantes, situada na Comunidade de Lavradores, em rua São José de Almendralejo. Também, há um escritório de engenharia que está assessorando aos regantes.

Cabe {recordar} que durante o primeiro ano de constituição da Comunidade de Regantes, a derrama acordada foi de dez euros. No entanto, Hurtado afirmou que «com cinco euros temos já que é suficiente». O escritório de atenção abre os dias de diário/jornal entre as dez e as duas, pelas manhãs; e entre as cinco e as oito pelas tardes.

Outra notícia é que depois de/após vários meses está atualizado quase ao completo o catálogo de hectares do projeto «e temos quase cobertas as 15.000 hectares. Há algumas parcelas em reserva, mas não podem ser incluídas até que não se resolvam as alegações que há pendentes de outros agricultores».

As notícias mais...