Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 25 de junho de 2018

A Junta exige vontade política para executar o plano de regadio

Considera crucial que o ministério declare de interesse/juro geral este projeto. Vara tem solicitado uma reunião com o ministro Luis Planas para tratar o tema

RODRIGO CABEZAS prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com ALMENDRALEJO
14/06/2018

 

A conselheira de Ambiente e Rural, Políticas Agrárias e Território da Junta de Extremadura, Begoña García Bernal, assistiu ontem em Almendralejo à assembleia geral da comunidade de regantes na qual se falou sobre/em relação a o projeto para instalar o regadio em Terra de Lamas e na qual se informou da licitação da redação do projeto com um investimento de 1.750.000 euros. Perante os meios, a conselheira pediu «uma {interlocución} e vontade clara do Ministério de Agricultura» , já que desde a Junta asseguram que «não nos {moveremos} nem um ápice no que {venimos} manifestando desde 2015», que é um financiamento a três partes entre Governo central, Junta e regantes, dando 65 milhões cada um a partes iguais para cobrir os 195 milhões de euros que supõe implantar o regadio em 15.000 hectares nos 12 municípios que engloba o processo.

Bernal anunciou que o presidente Vara pediu uma reunião com o novo ministro de Agricultura, Luis Planas, com o que quer ver alguns temas, entre eles este projeto de regadio em Terra de Lamas.

O debate para que o Governo central entre em cheio no financiamento a partes iguais reside na necessidade de que o projeto seja declarado de interesse/juro geral, e não de interesse comum tal como informaram os técnicos do ministério na última reunião mantida em Madrid com técnicos da Junta e representantes da comunidade de regantes. Segundo a conselheira, «não há critério treinador em cima da mesa» para que não seja declarado de interesse/juro geral e entende que não se fez, por enquanto, para não pôr em cima da mesa os 65 milhões. Neste sentido, indica que «não vamos a dizer-lhe ao ministério a maneira na qual pode apoiar, o que queremos é que declare de interesse/juro geral o projeto e ponha os 65 milhões».

Por seu lado, Isidro Hurtado, presidente da comunidade de regantes, assegurou estar «satisfeito» com os passos dados que, «embora curtos, vão em boa direção».

As notícias mais...