Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 25 de junho de 2018

Furtado: «{Insistimos} sem que montante a cor do governo»

Esta quarta-feira 13, a conselheira García Bernal informará aos agricultores. A comunidade de regantes pedirá uma reunião em Madrid na próxima semana

RODRIGO CABEZAS
10/06/2018

 

O presidente da Comunidade de Regantes do projeto de Terra de Lamas, Isidro Hurtado, não quer que a mudança de governo nacional possa arrefecer nem um ápice a continuidade do projeto de conversão em regadio de 15.000 hectares na região. Por isso, «quando as águas voltem a seu leito, pediremos uma reunião ao Ministério de Agricultura para retomar as negociações e ver a viabilidade do projeto». Hurtado, como o resto de integrantes da comunidade de regantes, têm claro que «seja da cor que seja o governo nacional, nós vamos seguir insistindo porque isto afeta a muitas famílias da região».

A comunidade de regantes celebra na próxima quarta-feira 13 de Junho uma junta geral ordinária onde terá altas e baixas e se procederá à aprovação do orçamento. Estão citados às oito, mas meia hora antes, às sete e média/meia, a conselheira de Agricultura da Junta, Begoña García Bernal, e o secretário-geral, Manuel Mejías Tapia, irão ao salão de atos de {Cajalmendralejo} para informar de primeira mão aos agricultores do progresso deste projeto.

Neste sentido, Hurtado confirma que «o plano está muito avançado. Temos editado uns folhetos para dar-lhe a máxima informação a nossos associados». O presidente dos regantes recordou que faz duas semanas foram convocados a uma reunião técnica no Ministério de Agricultura onde foram também técnicos da Junta e da empresa redação do projeto básico. Ali, representantes do ministério, informaram de porque é que não podiam declarar o projeto como bem de interesse/juro geral e só de interesse comum, já que dito interesse/juro alude a um coletivo concretamente.

O próximo 25 de Junho conclui o prazo para que as empresas possam apresentar ofertas à convocatória para a contratação do serviço de redação do projeto de obras, cuja licitação tem saído por 1.175.000 euros e um período de execução máximo de doze meses.

As notícias mais...