Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 23 de junho de 2017

O desengordurado ecológico é possível

Sergio Salguero e Enrique Muñoz conceberam uma máquina desengordurante para os sectores de hotelaria e restauração onde {primara} a poupança e a proteção pelo ambiente H O projeto chega a empresas de Portugal, Emiratos Árabes e Jordania

RODRIGO CABEZAS
18/06/2017

 

Um ecossistema {desegrasante} profissional. Baixo/sob/debaixo de esse mote nasceu o projeto Ecogreaser, a máquina que dois {almendralejenses} criaram com a ideia de dar-lhe solução a esse dor de cabeça no qual se converte a gordura incrustada nos utensílios de cozinha, especialmente quando falamos de cozinhas profissionais. O invento não é novo, mas ninguém tinha apostado até então por fazê-lo de maneira ecológica a cem por cento e com um detergente biodegradável, isto é, um produto que não reveste toxicidade.

Sergio Salguero nos explica que está orientado a restaurantes, hotéis, colégios, hospitais e aqueles lugares onde se utilize uma cozinha grande e profissional. As panelas e caçarolas se introduzem na máquina e a água, a 85 graus centígrados, que trabalha sem parar junto ao desengordurante para iniciar/dar início o processo. Passado um tempo, a sujidade e a gordura se decanta ao fundo sem misturar-se com a água, que pode ser {reutilizada} durante 30 dias. «Fizemos um estudo de eficiência energética. O pique costuma ficar duas horas diárias gastando água para eliminar a gordura. Com a máquina, somente {gastas} 288 litros ao mês. Falamos de poupança de água, de energia e de produtos de limpeza». Salguero também explica que o projeto Ecogreaser melhoria a higiene da cozinha, reduz o perigo de incêndios e conta com tamanhos {ajustables} às cozinhas.

O projeto emergiu há três anos em Almendralejo e começou a comercializar-se faz dois. Em pouco/bocado tempo se expandiu a redes hoteleiras e cadeias de restauração de Espanha, mas além disso conta com um delegado em Portugal e também trabalham com uma importante firma/assinatura/assina que opera em Jordania e nos Emiratos Árabes, nomeadamente em Dubai.

Recentemente, os impulsores do projeto apresentaram as vantagens desta máquina ao Servicio Extremeño de Salud para seu possível implantação nos hospitais da região. Concretamente, a apresentação teve lugar na Escola de Hotelaria de Mérida, com a presença dos chefe de cozinha de cada um dos hospitais que dependem do SES. «Entendemos que é um projeto extremenho pioneiro e que pode resultar interessante para nossas pessoas. É uma boa oportunidade de dá-lo a conhecer aqui».

Para estes dois {almendralejenses} foi essencial proteger o ambiente como nota característica de seu projeto. Começaram sós, mas já há uma equipa de empresários que ajudam a impulsionar seu plano.

As notícias mais...