Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 24 de novembro de 2017

Defesa do Público exige uma educação gratuita total

REDACCIÓN ALMENDRALEJO
03/09/2017

 

A Organização em Defesa do Público, que tem sua sede em Almendralejo, tem emitido um comunicado no qual exige à Conselheria de Educação da Junta de Extremadura que tome as medidas oportunas para que se cumpra o artigo 27 da Constituição espanhola em toda sua dimensão no que diz respeito à educação nas etapas de Primária e Ensino secundário, e para que a gratuidade do ensino seja total na etapa de educação pre-escolar.

Desde esta organização apontam a que, em média, os livros de educação pre-escolar para um menino de três anos costuma aproximar-se de um custo de cem euros, os livros de Primária rondam os duzentos euros, enquanto os de Ensino secundário os trezentos, «tudo isso sem contar outros materiais escolares que se necessitam nas classes». Desde Defesa do Público se acredita que foi uma boa medida a constituição do Banco de Livros com ajudas da Junta, mas o consideram insuficiente porque nessa saco/sacola/bolsa sempre existem livros que faltam e que temos de comprar, pelo que a gratuidade do ensino nunca é total. Fazem finca-pé no caso da educação pre-escolar, já que nesta etapa não existem bolsas por parte da Junta de Extremadura que possam ajudar às famílias.

As notícias mais...