Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 27 de abril de 2018

Cruz Roja espera repartir em Reis brinquedos para 180 meninos

O Centro Comercial O {Zamorano} recolhe/expressa roupa e presentes e os muda por descontos

RODRIGO CABEZAS prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com ALMENDRALEJO
15/12/2017

 

Cruz Roja Almendralejo, encarregada de fazer feliz àqueles meninos de famílias com menos recursos, já recolhe/expressa brinquedos para entregá-los a estes pequenos a tarde noite de 5 de Janeiro, como acontece cada ano. Seu presidenta, {Ángela} Sánchez, tem confessado que neste ano «a coisa está mais frouxa» e solicita a colaboração de vizinhos porque o objetivo é chegar a uns 180 meninos de Almendralejo e região de Terra de Lamas.

Segundo explica {Ángela}, a ideia a Cruz Vermelha é oferecer um par de brinquedos a cada menino. A operação brinquedo está vigente durante todo o ano, embora se intensifica durante estes meses. Qualquer vizinho/morador pode fazer uma contribuição voluntária entregando os presentes na sede da assembleia local a Cruz Vermelha, situada na antiga estrada de {Sevilla}. Se precisam brinquedos para todas as idades, isto é, para meninos de entre 2 e 14 anos, «e {preferiblemente} novos».

Desde há anos, Cruz Roja reivindica brinquedos que não estejam usados, embora também é certo que durante todo o ano trabalham na reparação dalguns que lhes chegam em estado defeituoso.

Sánchez assinala que Almendralejo costuma tombar-se nesta operação. Têm instaladas os chamadas Árvores solidários, em {jugueterías} da cidade para aqueles que queiram colaborar e também agradecem a ajuda que lhes chega de colégios e institutos, centros que também trabalham na recolhida de brinquedos.

‘Dezembro solidário’ / Neste ano a ajuda chegará também procedente do Centro Comercial O {Zamorano}, que celebra seu 110 aniversário. Para comemorá-lo tem concebido o chamado Dezembro solidário, contribuindo à recolhida de brinquedos para Cruz Roja e roupa para Cáritas.

Em relação aos primeiros, colocarão cestas para seu recolhido e insistem na necessidade de que sejam novos.

Quanto à roupa, a ideia é mais original. Desde o Centro Comercial O {Zamorano} propõem entregar descontos em troca de roupa usada que depois se vá a destinar a Cáritas. Paco de Vega, responsável da loja, explica que se taxará o preço da roupa entregue e se trocará por um desconto. Isso sim, dita diminui deve utilizar/empregar-se para comprar uma pegue similar, isto é, que se por exemplo se entregam uns vaqueiros usados, o desconto servirá para comprar uns vaqueiros novos. Cada pessoa poderá conseguir descontos de até um máximo de 80 euros.

Responsáveis de Cáritas presentes no ato recordaram, por seu lado, aos cidadãos que levem peça de roupa de vestir que sejam necessárias e demandadas, tais como camisas, t-shirts, vaqueiros ou calçado. Pediram que evitem levar fatos ou roupa em estado muito defeituoso, já que o armário de Cáritas encontra-se totalmente colapsado em seu armazém da rua Primeiro de Maio.

A {oenegé} informou de que reparte a roupa constantemente, mas desde há tempo se lhe tem acumulado muito excedente. Por um lado, roupa muito velha, e, por outro lado, a necessidade, felizmente, tem diminuído.

As notícias mais...