Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 19 de septembro de 2018

A câmara municipal solicita à Junta três oficinas de escolas profissionais

Pedem módulos de carpintaria de madeira, alvenaria e pintura e formação em turismo. Os 45 candidatos/candidatas a estes contratos têm de estar inscritos no Sexpe

RODRIGO CABEZAS prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com ALMENDRALEJO
16/05/2018

 

A Câmara Municipal de Almendralejo tem solicitado à Junta de Extremadura três novos oficinas das chamadas escolas profissionais, isto é, programas orientados à formação e emprego de pessoas que procuram melhorar seu acesso ao mercado laboral e que, atualmente, encontram-se registadas no Sexpe. O projeto apresentado pelo câmara municipal se lhe conhece com o nome de ‘{Labore}’ e solicita três especialidades: carpintaria de madeira, alvenaria e pintura e formação em turismo.

Cada uma das especialidades acolheria a 15 alunos para um total de 45 desempregados com a possibilidade de fazer formação. Os módulos contam com certificados de profissionalismo. No caso do oficina de carpintaria de madeira, há dois certificados: trabalhos de carpintaria e móvel e acabados de carpintaria. Na modalidade de pintura teria três certificados de profissionalismo: fábricas de alvenaria, revestimento com {pastas} e morteiros em construção, e pintura decorativa em construção. A especialidade de turismo somente tem um certificado que é promoção turística local e atenção ao visitante.

Os participantes nestas escolas profissionais terão um contrato de formação de doze meses pelo que perceberão/receberão o 75% do salário mínimo interprofissional. Posteriormente, terá a oportunidade de fazer práticas não laborais numa empresa por duração de dois meses, embora é algo optativo.

A Câmara Municipal tem solicitado este programa que conta com um montante de 761.250 euros. Dessa quantidade/quantia, uns 680.000 euros serão para pagar os salários tanto/golo dos alunos participantes como dos monitores encarregados da formação, enquanto o resto será para material.

Carlos González Jariego, vereador de Desenvolvimento, assinala que o prazo para a apresentação de projetos expirou no passado 9 de Maio e que esperam que a resolução possa sair antes de verão, já que têm constância de que a ideia da Junta de Extremadura é que estas novas escolas profissionais se encontrem funcionando para o mês de Outubro.

Modalidades / O vereador precisa que as especialidades escolhidas se fundamentam em análises prévias realizados pelo plantel/elenco de governo para ver as possibilidades de uma maior empregabilidad. A partir de eles se deduz que faltam profissionais dos sectores da carpintaria de madeira ou a pintura e que com esta formação se impulsiona a criação de novas pessoas focadas a estas profissões. Também salienta que os trabalhos que realizam estes alunos das escolas profissionais redundam em benefícios para a cidade.

Atualmente, em Almendralejo estão funcionando dois escolas profissionais: Degustação e Concórdia. O vereador salienta alguns trabalhos realizados por estas pessoas como a mudança de ‘{look}’ do sala de plenários/plenos da Câmara Municipal com a renovação de chãos e {bancadas}, a construção de bancadas de madeira para eventos ou a edificação de quiosques de madeira portáteis e dobráveis que ainda não se têm instalado. Se espera estreá-los durante a Rota do Romantismo.

As notícias mais...