Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 25 de junho de 2018

Aprobado o orçamento de 2018 após rejeitar-se as alegações do PSOE

Un relatório/informe do interventor de fundos apoia a rejeição a estas alegações. O presidente da Câmara Municipal diz que seu porta-voz mente e sim votou a urgência para sua ratificação

RODRIGO CABEZAS prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com ALMENDRALEJO
20/12/2017

 

Com os votos a favor do grupo popular e os votos contra do grupo municipal socialista, o orçamento municipal para 2018 foi aprovado ontem em sessão plenária depois de/após que se rejeitasse uma alegação em bloco do jogo/partido socialista, única {presentad} após o período de dois meses de exposição pública ao que se viu submetida a proposta de orçamento inicial cifrada em 29,5 milhões de euros.

O orçamento não sofre mudanças e se tem aprovado tal como se apresentou em Outubro. Un relatório/informe da intervenção geral de fundos, datado a 30 de Novembro, tem apoiado a proposta de {desestimación} destas alegações que apresentou em plenário/pleno o Partido Popular para tirar adiante as contas municipais.

As alegações socialistas se fundamentaram em quatro pontos. Por um lado, o uso indevido da via de urgência. Cabe {recordar} que a proposta de orçamento foi apresentada pelo grupo popular pela via de urgência numa comissão de Finanças, algo que provocou o zanga do grupo socialista, que se foi embora dessa mesma comissão. Os socialistas defendem que não votaram essa urgência, enquanto os populares, apoiados por um relatório/informe do próprio secretário da comissão, asseguram que Piedade {Álvarez}, porta-voz socialista, sim votou. Mesmo, o presidente da Câmara Municipal deixou entender que tem documentos que assim o acreditam e considera «inaceitável» que se fundamente uma alegação numa mentira.

OS RENDIMENTOS / Outra alegação socialista fazia referência à insuficiência de rendimentos para atender despesas. O interventor de fundos conclui no seu relatório que resulta suficiente a {consignación} orçamental por montante de 100.000 euros ao reconhecer a despesa subscrito entre a Câmara Municipal e a entidade {Socamex}, pelo que também fica rejeitada a alegação.

As outras alegações, segundo os socialistas, se referem ao incumprimento do Plano Económico Financeiro em vigor e à {asunción} de compromissos de despesas realizadas sem existência de {consignación} orçamental alguma. Em ambos casos, o relatório/informe do interventor de fundos conclui que nenhum dos supostos encontram-se entre as possíveis causas de reclamação.

Rejeitadas todas as alegações, o orçamento municipal ficou aprovado para 2018. Desde a {bancada} socialista, Piedade {Álvarez}, porta-voz do PSOE, assegura que não descartam ir à justiça ou ao Ministério de Finanças para seguir/continuar adiante com estas alegações. Também assinalou que na última comissão de Finanças se tem formalizado um novo empréstimo a curto prazo por valor de três milhões de euros.

Outros assuntos/ Por outro lado, o plenário/pleno da corporação aprovou por unanimidade a proposta de adesão de Almendralejo ao projeto de Cidades Amigas da Infância, um selo que convoca cada dois anos Unicef e que só/sozinho têm na atualidade 120 localidades de Espanha, entre elas Cáceres e Villanueva de la Serena.

Também se aprovou que o vereador José María Cabañas seja o representante municipal no conselho do centro de professores e recursos.

As notícias mais...