Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 22 de septembro de 2018

‘{Acho}, empreende’ tem envolvido a 300 alunos de entre 9 e 11 anos

A {Ceal} reclama o apoio da Junta e enaltece a singularidade deste programa. A Câmara Municipal e a Caixa são os patrocínadores chaves desta iniciativa

RODRIGO CABEZAS prov-badajoz@extremadura.elperiodico.com ALMENDRALEJO
19/05/2018

 

Que Almendralejo é uma cidade empreendedora não é algo inovador para a região, mas que esse espírito de empreendimento comece a inculcar-se na localidade a meninos que ainda cursam a ensino básico já começa a ser algo muito singular. O teatro Carolina Coronado foi cenário do encerramento do programa de empreendimento infantil ‘{Acho}, empreende’ que impulsiona a Coordenadora Empresarial de Almendralejo ({Ceal}) entre alunos de sete colégios. Neste ano, as classes chegaram a quase 300 alunos de entre 9 e 11 anos, isto é, de entre terceiro e quinto de primária. Dos oito centralismos que há na localidade, sete quiseram participar: Ruta de la Plata, Antonio Machado, Ortega e {Gasset}, São Francisco, São Roque, Montero de Espinosa e José de Espronceda.

A dinâmica é simples. Cada colégio escolhe um dos reptos/objetivos de empreendimento que propõe a {Ceal}. Alguns têm aprendido a falar em público. Outros se têm centrado na gestão de projetos com lego. Outros têm interpretado com arte, enquanto os mais atrevidos se {lanzaon} ao cinema.

A {Ceal} faz um balanço mais que positivo após dois anos impulsionando-o: «Estamos muito agradecidos a nossos {patronos} como a Caixa e a Câmara Municipal. Os rapazes têm aprendido essas noções que já fazem parte do espírito empreendedor que carateriza a Almendralejo. Agora esperamos que a Junta de Extremadura se uma também a este projeto», aponta Ángel Barrera, presidente da coordenadora.

«ATIVIDADE PINTORESCA» / Representando à Junta, neste caso à conselheria de Educação, esteve a delegada provincial, Piedade {Álvarez}, quem tem comentado que já existe um apoio formal ao programa, já que para que qualquer atividade não {reglada} possa dar-se num colégio deve contar com a autorização da conselheria de Educação. «É uma atividade única na Extremadura e muito pintoresca, tanto/golo pela denominação como pelo grupo do qual surge, os empresários de Almendralejo. Não é habitual que uma coordenadora empresarial decida entrar em idades tão precoces para fomentar esse espírito empreendedor», salientou.

{Álvarez} tem indicado que a Junta já conta com programas parecidos como o Juniores Empreende ou a cadeira de empreendimento. «Mas como diz Vara, também temos de potenciar as habilidades e a formação», disse.

Alfonso Serrano, representante da Caixa, considera que é um programa importante para a sociedade local e espera que sua entidade possa seguir/continuar apoiando-o na terceira edição.

Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal José García Lobato, fez finca-pé no carácter empreendedor dos {almendralejenses}. «É algo que levamos trabalhando no município desde há dois legislaturas. É importante inculcar-lhes aos jovens este espiritismo».

Grande parte dos participantes nas diferentes sessões do ‘{Acho}, empreende’ puderam desenvolver de novo seus reptos/objetivos no teatro durante o encerramento. O recinto roçou o cheio, entre professores, alunos e pais. Ángel Barrera tem claro que a terceira edição não pode esperar e deve começar o próximo ano.

As notícias mais...